Cinema Crítica

5 Interessantes (e polêmicos) Filmes sobre Religião

By on agosto 26, 2013


Por Rafael Lopes

O cinema enquanto expressão artística não poderia jamais fechar os olhos para temas polêmicos. Lembre-se que quando Chaplin te fazia rir enquanto apertava uns parafusos dentro das engrenagens da indústria, denunciava também a exploração do empregado na selvageria das indústrias. Por essas e outras, o cinema sempre teve consigo o fardo de ao mesmo tempo em que diverte precisa documentar. A câmera vira, então, os olhos de quem enxerga uma situação de uma forma e disserta sobre de uma forma dinâmica, em 24 quadros por segundo. A arte quebrando tabus tem sido uma  das formas da sociedade demonstrar sua reflexão diante de situações que não são discutidas com mais naturalidade. O cinema já fez isso com homossexuais, casos de aborto, reféns das guerras no oriente médio e outros temas. O que será discutido aqui é a religião.

Nesta lista estão 5 filmes que de maneiras distintas oferecem discursos basicamente sobre o mesmo tema: a relação da fé com o ser humano. São 5 exemplos de como o cinema encarou esse assunto que certamente mexe com uma gigantesca parcela da sociedade, onde uns aceitam e outros torcem o nariz. São filmes que sofreram com tentativas de boicotes, com recepções variadas pelo público mas que principalmente foram corajosos em abrir um debate que muitos se negam por motivos variados, sendo o principal dele a não reflexão de uma verdade que julgam absoluta. São 5 filmes que valem a pena pela sabedoria de tratar o tema com a responsabilidade de na linguagem cinematográfica além de nos entreter, informar.

 

5 – Dogma

dogma684

Leia a crítica aqui.

Dogma não é de fácil digestão. Pra começar nem todo mundo é fã do humor negro e é justamente esse que impera nesse filme. Mas e qual é o conceito de humor negro? Muitos dirão ser o humor que trata de assuntos mais polêmicos, do humor que ofende. Trata-se de um humor apelativo, é verdade, mas que no fim das contas sequer chega a ofender. O diretor Kevin Smith usa de itens básicos à religião cristã para criticar a forma com que as pessoas se apegam a símbolos religiosos e disso se desfazem até das próprias responsabilidades. Tal qual uma cena em que um anjo convence um cristão a ser ateu, Smith discute a dualidade do ser humano diante das próprias crenças, tal qual a escolha de levar uma vida dentro dos princípios religiosos com medo de ir para o inferno se logo em seguida fará alguma besteira fora desses princípios pensando ser perdoado só por se arrepender. Dogma discursa muito bem sobre essa hipocrisia, o que rende momentos brilhantes dentro da trama e faz concluir que não se trata de um humor negro. Está mais para o bom e velho humor crítico que ninguém gosta porque a carapuça serve.

4 – A Vida de Brian

life-of-brian

Leia a crítica aqui.

Num debate na TV inglesa, John Cleese discutia com representantes religiosos sobre o “teor de blasfêmia” que seu novo filme tinha. Cleese em uma resposta quebrou os dois líderes religiosos, que o sabatinavam de maneira vergonhosamente tendenciosa, tentando colocar os Monty Python contra o público. Cleese questionou sobre a fé dos mesmos quando levantou a questão de que se um filme abala a fé de alguém é porque tem alguma coisa errada com a fé desse alguém. E essa situação que John Cleese viveu na TV é um dos temas relacionados à religião que A Vida de Brian discute. O filme narra a história do pobre Brian, que quando menos espera é considerado santo, mas não passa de um ser humano comum. A pretensão do filme não é recontar a história de Jesus às avessas, mas sim criticar a chuva de falsos profetas e charlatões que usam de uma retórica afiada (e muito eficiente) para pastorar as ovelhinhas, bem como os líderes fizeram com o Monty Python quando publicamente tocaram o zaralho para ver A Vida de Brian banido dos cinemas (ou como no programa onde acontecia o debate citado acima, faziam perguntas que mais se preocupavam em colocar o público contra os caras do que realmente chegar a algum entendimento sobre o assunto).

3 – Jesus Camp

JesusCamp1

Esse polêmico documentário abre espaço para um debate delicado acerca da influencia religiosa sobre os grandes líderes políticos e sobre os ensinamentos das doutrinas religiosas praticamente por meio da tortura. O filme conta a experiencias de crianças em um acampamento onde simplesmente aprendem a ser fanáticos religiosos, onde o que mais querem na vida é ser um próximo Billy Graham (famoso líder religioso que fez muito sucesso na TV e ainda foi conselheiro espiritual de muitos presidentes americanos, incluindo Nixon, com quem teve um acalorado papo anti semita uma vez), onde o “real” objetivo de sua estadia lá era “recuperar, em nome de Cristo, os EUA”. Segundo a produtora Rachel Grady “O documentário é muito profissional e informativo. A temática é real, e tem que ser conhecida pelo mundo” e acrescentou que “o governo deveria se separar da igreja”. Sim, as decisões políticas não precisam necessariamente ter nenhuma relação com religião. É por isso que temas polêmicos e de real necessidade de a sociedade debater (como aborto, casamento homossexual ou liberação das drogas) não saem do estado estagnado em que se encontram porque desde cedo as crianças estão aprendendo o lado errado da fé. O fanatismo não é o caminho, não existe verdade absoluta e o tratamento às crianças é realmente questionável. Seria a educação correta? Tire suas conclusões, veja o filme clicando AQUI.

2 – A ultima Tentação de Cristo

last

E se Jesus Cristo tivesse levado uma vida como uma pessoa normal? E se ele tivesse aberto mão de ser o salvador da humanidade para viver como um homem? A Ultima Tentação de Cristo é sem dúvida um dos filmes mais polêmicos comandados por Martin Scorsese na mesma proporção de ser um de seus momentos mais brilhantes como diretor. O filme, baseado no livro do grego Níkos Kazantzákis, é uma dura reflexão a qual todo cristão se nega a imaginar. Será que em algum momento de sua vida, Cristo temeu seu destino? O filme reconta os eventos narrados pela bíblia sob um olhar humano e delicado sobre como Jesus reagiria ao seu destino messiânico. E  se seguisse outro caminho? As personagens da história ganham uma personalidade humanizada, dando à roupagem que o filme se propõe ainda mais autenticidade, e isso incomodou muita gente. O que essa muita gente não viu foi que o filme tenta a todo custo resgatar nas pessoas a compreensão da crença. É um filme que busca explicar dentro do que é relatado na bíblia a capacidade da interpretação de seu significado e não somente crer naquilo como sendo uma verdade absoluta. Diante do rebuliço causado pela obra (e de muita gente que ainda torce o nariz com relação a essa obra prima), cito a resposta de Kazantzákis: “Vocês me amaldiçoaram, pais sagrados, eu dou a vocês uma benção: possam as suas consciências ser tão claras quanto a minha e possam vocês ser tão morais e religiosos quanto eu”.

1 – Luz de Inverno

luzmulhollandcl

Leia a crítica aqui.

Luz de Inverno é o mais perto que o cinema chegou de encontrar uma resposta para os mistérios da fé. Crer ou não crer? Como fazer isso num momento crítico, onde a humanidade parece não ter salvação? Fim dos tempos? Não, é dúvida na fé. O padre que questiona a própria fé é a forma que Ingmar Bergman encontrou para interpretar um dos maiores mistérios da humanidade. De onde vem o conceito de fé e de que maneira ela blinda o ser humano de seus temores são os assuntos mais intensos, retratados de maneira intimista e esclarecedora por um dos mais brilhantes cineastas da história. O tema tratado com certa audácia, em tempos em que turbulências diplomáticas ameaçavam a mais bela criação divina, nosso mundo, constrói com impressionante maturidade algo que deveria ficar como mensagem universal: fé é muito diferente de religião. Acreditar nessa fé é o caminho mais seguro do que seguir doutrinas interpretativas que em muitas vezes desviam da própria proposta. É reinterpretar o primeiro mandamento, tendo em mente a liberdade e o livre arbítrio (garantidos por Deus na bíblia) dessa crença se revelar da maneira que for, mas se revelando.

 

~~

TAGS
RELATED POSTS
19 Comments
  1. Responder

    Jéssica Takayama

    agosto 26, 2013

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Responder

    Paulo Fagundes

    agosto 26, 2013

    otima lista.

  3. Responder

    Renata Martins

    agosto 26, 2013

    Red state, também de Kevin Smith.

  4. Responder

    Rafael Machado

    agosto 26, 2013

    Errinho de português:

    meXe e não meCHe.

  5. Responder

    Elaine Truiz

    agosto 26, 2013

    Saindo do catolicismo, "Samsara" e "Outono, inverno, primavera, verão… Outono". Como a fé lida com o mundano e as fragilidades humanas.

  6. Responder

    Elaine Truiz

    agosto 26, 2013

    Vou ver o do Bergman!!!

  7. Responder

    Rosana Almeida

    agosto 26, 2013

    Pena o link não da abrindo?!

  8. Responder

    Júnior Soares

    agosto 26, 2013

    There Will be Blood?

  9. Responder

    Ewerton Rodrigues

    agosto 26, 2013

    Sinais

  10. Responder

    Anucha Teresa

    agosto 26, 2013

    Prayers for Bobby.

  11. Responder

    Joe Maurinho

    agosto 26, 2013

    O Bebê santo de Macon. (Peter Greenaway) – Num lugar pobre e atrasado, uma jovem virgem diz ter gerado uma criança sagrada. Todos acreditam e cria-se uma religião baseada nisso…algo familiar?

  12. Responder

    Angelica Santos

    setembro 4, 2013

    Gostei the lista. Luz de Inverno já quero pra ontem.

  13. Responder

    Debora J Janish

    outubro 20, 2013

    "The Ledge" tb é ótimo … Ñ fala diretamente sobre isso, mas as discussões relativas a "verdades religiosas" x prática, são excelentes … Pequenas questões que geram discussões sem fim …

  14. Responder

    Patrícia Faria

    outubro 20, 2013

    Deu vontade de ver todos!

  15. Responder

    Alice Souza

    outubro 20, 2013

    Pra quem tá querendo assistir um bom filme, veja: Luz de Inverno.
    Ainda não vi os outros.

  16. Responder

    Isaac Melo

    outubro 20, 2013

    Elaine Truiz Samsara merecia estar na lista. É uma ótima versão do livro do Hess.

  17. Responder

    Maria Lúcia Souza

    outubro 20, 2013

    Bela lista . Vou acrescentar mais 3, que lembro agora: O Padre (Priest) de Antonia Bird , O Corpo e O crime do Padre Amaro.

  18. Responder

    Airanan Beatriz

    novembro 7, 2013

    Muito bacana a matéria. Acho completamente errônea a ideia que algumas pessoas tem de que religião não se discuti. Pretendo assistir os filmes citados, rs.

LEAVE A COMMENT

Conheça nossa loja!
Conheça nossa loja!
Pesquisar
Newsletter