, ,


10 filmes para quem gosta de cinema francês – Parte 2

10 filmes para quem gosta de cinema francês – Parte 2

Fala Galera! Dessa vez montei uma lista compilando alguns filmes para os fanáticos pelo cinema Francês, a lista será dividida em muitas partes nos próximos dias. Fiz uma seleção entre títulos já conhecidos e alguns cultuados pelo grande público, mas também trouxe alguns outros não tão difundidos aqui no Brasil para que todos conheçam. Claro que como sempre essa lista NÃO É DEFINITIVA e nem esta separada por ordem de preferência. Espero que a lista os ajude nas próximas escolhas relacionadas ao tema. Façam suas listas e deixem nos comentários também, isso ajuda os usuários que já conhecem esses filmes e querem conhecer outros. Bom filme e boas experiências a todos!


11 – Em Paris (2006) – Direção: Christophe Honoré

Mirko (Guy Marchand) tem dois filhos: os jovens Paul (Romain Duris) e Jonathan (Louis Garrel). O primeiro é confuso e o segundo irresponsável. Paul sofre do mesmo tipo de depressão que levou sua irmã ao suicídio, alguns anos antes. Ele vivia com a namorada Anna (Joana Preiss), mas após brigar com ela voltou a morar com o pai. Enquanto Jonathan vive aventuras românticas pela cidade, Paul se recusa a sair da cama e do quarto.


12 – A Nós a Liberdade (1931) – Direção: René Clair

Sátira sobre dois ex-presidiários, um dos quais consegue progredir de vendedor a dono de uma fábrica, onde percebe que os operários são reduzidos a autômatos.


13 – Um Cão Andaluz (1929) – Direção: Luis Buñuel

Com roteiro co-escrito por Salvador Dalí, Luis Buñuel estreou como diretor neste curta-metragem, o marco inicial do surrealismo no cinema. Com clara influência da psicanálise, Buñuel e Dalí exploram o inconsciente humano, numa seqüência de cenas oníricas, incluindo o célebre momento em que um homem, interpretado pelo próprio diretor, corta, com uma navalha, o olho de uma mulher.

um cao andaluz


14 – Há Tanto Tempo Que Te Amo (2009) – Direção: Philippe Claudel

Juliette retorna à sua família e à sociedade, após 15 anos de ausência e rejeição. Apesar de uma separação familiar drástica no passado, sua irmã mais nova, Léa, decide abrigá-la em sua casa, onde mora com o marido, as duas filhas e o sogro. Aos poucos, a trama revela a aparente amoralidade por trás da tragédia que manteve Juliette afastada por tanto tempo da vida real.


15 – Cais das Sombras (1938) – Direção: Marcel Carné

Numa estrada nebulosa um soldado solitário busca refúgio num bar à beira da estrada, onde várias almas perdidas remoem as suas melancolias. O soldado é Jean (Jean Gabin), e sua solidão é interrompida quando ele encontra Nelly (Michele Morgan), uma andarilha depressiva, e se apaixonam. Ele mergulha de cabeça nos problemas de Nelly.

Comments

Leave a Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Loading…

Loading…

Comments

comments