, ,


10 filmes para quem gosta de cinema francês – Parte 6

10 filmes para quem gosta de cinema francês – Parte 6

Fala Galera! Dessa vez montei uma lista compilando alguns filmes para os fanáticos pelo cinema Francês, a lista será dividida em muitas partes nos próximos dias. Fiz uma seleção entre títulos já conhecidos e alguns cultuados pelo grande público, mas também trouxe alguns outros não tão difundidos aqui no Brasil para que todos conheçam. Claro que como sempre essa lista NÃO É DEFINITIVA e nem esta separada por ordem de preferência. Espero que a lista os ajude nas próximas escolhas relacionadas ao tema. Façam suas listas e deixem nos comentários também, isso ajuda os usuários que já conhecem esses filmes e querem conhecer outros. Bom filme e boas experiências a todos!


51 – O Escafandro e a Borboleta (2007) – Direção: Julian Schnabel

Jean-Dominique Bauby (Mathieu Amalric) tem 43 anos, é editor da revista Elle e um apaixonado pela vida. Mas, subitamente, tem um derrame cerebral. Vinte dias depois, ele acorda. Ainda está lúcido, mas sofre de uma rara paralisia: o único movimento que lhe resta no corpo é o do olho esquerdo. Bauby se recusa a aceitar seu destino. Aprende a se comunicar piscando letras do alfabeto, e forma palavras, frases e até parágrafos. Cria um mundo próprio, contando com aquilo que não se paralisou: sua imaginação e sua memória.


52 – A Paixão de Joana D’Arc (1928) – Direção: Carl Theodor Dreyer

Versão muda da história de Joana D’Arc.França, século XV, Joana de Domrémy, filha do povo, resiste bravamente a ocupação de seu país. É presa, humilhada, torturada e interrogada de maneira impiedosa por um tribunal eclesiástico, que a levou, involuntariamente, a blasfemar. É colocada na fogueira e morre por Deus e pela França.Último filme mudo de Carl Th. Dreyer, o filme mais fiel à história da guerreira. Todos os filmes de Dreyer, basearam-se em obras de ficção ou peças teatrais, exceto O Martírio de Joana d’Arc, que foi inspirado nos manuscritos oficiais do julgamento da donzela de Orléans.


53 – O Atalante (1934) – Direção: Jean Vigo

Quando se casa com Jean, Juliette vai morar no barco do marido, onde o casal está acompanhado apenas de mais dois tripulantes. Pouco tempo depois, entediada com a vida a bordo, a mulher desembarca em Paris para ver a vida noturna. Irritado com isso, Jean zarpa, abandonando Juliette, mas, angustiado pela culpa e pela saudade, cai em depressão, e um dos tripulantes volta à cidade para tentar achar Juliette.


54 – O Profeta (2009) – Direção: Jacques Audiard

Malik é condenado a seis anos de prisão. Aos 19 anos, sem saber ler nem escrever, ele parece mais frágil do que na realidade é. Rapidamente se vê enredado nas lutas de gangues, com uma série de “missões” que deverá executar para conquistar a atenção de um dos líderes. Mas Malik é forte e esperto, rapidamente começa a criar os seus próprios planos.


55 – A Religiosa (1966) – Direção: Jacques Rivette

A história acontece no século XVIII, onde Suzanne, uma jovem francesa, é forçada pelos pais a entrar para um convento e tornar-se freira. Durante este período, convive com três madres superioras, cada uma tratando-a de maneira completamente diferente, indo do afeto maternal, passando pelo sadismo e chegando ao lesbianismo. Em suas desventuras, a virtude de Suzanne sempre lhe causa problemas.

Comments

Leave a Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Loading…

Loading…

Comments

comments