, ,


Os 10 filmes mais azarados da história do Oscar

Os 10 filmes mais azarados da história do Oscar

A Malvada (All About Eve) e Titanic (Idem) são os filmes que receberam o maior número de indicações nessas 86 edições do Oscar. Cada um teve 14 nomeações. O filme protagonizado por Bette Davis venceu 6 prêmios e a superprodução de James Cameron 11.

Todo ano existem aqueles filmes que recebem mais atenção e são indicados em quase todas as categorias principais e técnicas. Desta vez, os longas mais badalados são Gravide de Alfonso Cuarón e Trapaça de David O. Russell com 10 indicações cada. Mas já pensou se mesmo com essa quantidade de indicações esses filmes saíssem de mãos abanando? Sem nenhum prêmio sequer? Pois é, isso é um risco e não seria novidade caso acontecesse.

Abaixo, você irá conferir os 10 filmes mais azarados da história da premiação. Aqueles que tiveram o maior número de indicações sem levar nenhum prêmio. Confira:

O CANHONEIRO DE YANG-TSÉ (1966)

8 Indicações:
Melhor Filme
Melhor Ator – Steve McQueen
Melhor Ator Coadjuvante – Mako
Melhor Direção de Arte Colorida
Melhor Fotografia em Cor
Melhor Edição
Melhor Som
Melhor Trilha Sonora Original

O filme, um tanto quanto desconhecido do diretor Robert Wise, responsável por clássicos como A Noviça Rebelde e West Side Story, teve entre seus principais concorrentes os filmes “Quem Tem Medo de Virginia Woolf?” e “O Homem Que Não Vendeu Sua Alma”. Robert que havia vencido o Oscar de Melhor Diretor no ano anterior por ‘Noviça’, em 1967 foi homenageado com o prêmio especial Irving G. Thalberg. No final das contas, o diretor que nem indicado foi, saiu premiado, e a equipe indicada com uma mão na frente e outra atrás.

UMA CRUZ À BEIRA DO ABISMO (1959)

8 Indicações:
Melhor Filme
Melhor Diretor – Fred Zinnemann
Melhor Atriz – Audrey Hepburn
Melhor Fotografia
Melhor Roteiro Adaptado
Melhor Edição
Melhor Trilha Sonora Original
Melhor Som

O filme estrelado pela eterna Bonequinha de Luxo teve muito azar. Concorreu diretamente com ninguém menos que Ben-Hur, recordista de estatuetas, que levou onze para casa naquele ano, não deixando quase nada para os seus concorrentes.

O HOMEM ELEFANTE (1980)

8 Indicações:
Melhor Filme
Melhor Diretor – David Lynch
Melhor Ator – John Hurt
Melhor Roteiro Adaptado
Melhor Direção de Arte
Melhor Figurino
Melhor Edição
Melhor Trilha Sonora Original

O diretor de sucessos como Cidade dos Sonhos e Veludo Azul não teve êxito ao enfrentar sucessos como “Touro Indomável” e “Gente como a Gente”. Mas o filme abriu um precedente: graças a impressionante maquiagem criada para a caracterização do protagonista John Hurt, a Academia criou no ano seguinte a categoria de Melhor Maquiagem.

QUO VADIS (1951)

8 Indicações:
Melhor Filme
Melhor Direção de Arte em Cores
Melhor Ator Coadjuvante – Leon Genn
Melhor Ator Coadjuvante – Peter Ustinov
Melhor Fotografia em Cores
Melhor Figurino em Cores
Melhor Trilha Sonora Original
Melhor Edição

O drama de época dirigido por Mervyn LeRoy foi obrigado a enfrentar filmes que hoje são considerados grandes clássicos: “Uma Rua Chamada Pecado”, “Um Lugar ao Sol” e “Sinfonia de Paris”. Não deu outra, perdeu tudo em que concorreu.

A CALDEIRA DO DIABO (1957)

9 Indicações:
Melhor Filme
Melhor Diretor – Mark Robson
Melhor Roteiro Adaptado
Melhor Atriz – Lana Turner
Melhor Atriz Coadjuvante – Diane Varsi
Melhor Atriz Coadjuvante – Hope Lange
Melhor Ator Coadjuvante – Russ Tamblyn
Melhor Ator Coadjuvante – Arthur Kennedy
Melhor Fotografia

O polêmico filme de Mark Robson se destacou não só por abordar a hipocrisia da classe média americana, mas também por ter nada menos do que 5 indicações em categorias de atuação. E mesmo assim conseguiu a proeza de não levar nenhum de seus atores à vitória.

PÉRFIDA (1941)

9 Indicações:
Melhor Filme
Melhor Diretor – William Wyler
Melhor Roteiro
Melhor Atriz – Bette Davis
Melhor Atriz Coadjuvante – Patricia Collinge
Melhor Atriz Coadjuvante – Tereza Wright
Melhor Direção de Arte em Preto e Branco
Melhor Edição
Melhor Trilha Sonora Original

1942 foi um ano polêmico. Além de ter sido o ano em que o posteriormente aclamado Cidadão Kane perdeu o Oscar de Melhor Filme para Como Era Verde Meu Vale, foi o ano em que essa saga protagonizada por Bette Davis, despontou como o azarão da vez ao perder todas as 9 categorias em que foi indicado.

BRAVURA INDÔMITA (2010)

10 Indicações:
Melhor Filme
Melhor Diretor – Ethan Coen e Joel Coen
Melhor Ator – Jeff Bridges
Melhor Atriz Coadjuvante – Hailee Steinfeld
Melhor Roteiro Adaptado
Melhor Direção de Arte
Melhor Fotografia
Melhor Figurino
Melhor Edição de Som
Melhor Mixagem de Som

Os queridos irmãos Coen também já foram esquecidos pela Academia. O remake do original de 1969 perdeu para filmes como “O Discurso do Rei”, “A Rede Social”, “O Vencedor” e “A Origem”.

GANGUES DE NOVA YORK (2002)

10 Indicações:
Melhor Filme
Melhor Diretor – Martin Scorsese
Melhor Ator – Daniel Day-Lewis
Melhor Roteiro Original
Melhor Fotografia
Melhor Direção de Arte
Melhor Figurino
Melhor Edição
Melhor Canção – The Hands That Built America
Melhor Som

Nem Mr. Scorsese escapou do fracasso. Em 2003, o longa de época enfrentou um dos musicais mais aclamados dos últimos tempos: Chicago, que se consolidou com o grande vencedor da noite. Além disso, perdeu para filmes de Almodóvar (Fale com Ela) e Roman Polanski (O Pianista).

MOMENTO DE DECISÃO (1977)

11 Indicações:
Melhor Filme
Melhor Diretor – Herbert Ross
Melhor Atriz – Anne Bancroft
Melhor Atriz – Shirley MacLaine
Melhor Roteiro Original
Melhor Atriz Coadjuvante – Leslie Browne
Melhor Ator Coadjuvante – Mikhail Baryshnikov
Melhor Direção de Arte
Melhor Fotografia
Melhor Edição
Melhor Som

O filme de Herber Ross concorreu com o clássico de Woody Allen: Annie Hall, além de filmes como Star Wars: Uma Nova Esperança e Julia. Não levou nenhum carequinha para casa e meio que caiu no esquecimento.

A COR PÚRPURA (1985)

11 Indicações:
Melhor Filme
Melhor Atriz – Whoopi Goldberg
Melhor Roteiro Adaptado
Melhor Atriz Coadjuvante – Oprah Winfrey
Melhor Atriz Coadjuvante – Margaret Avery
Melhor Direção de Arte
Melhor Fotografia
Melhor Figurino
Melhor Maquiagem
Melhor Trilha Sonora
Melhor Canção Original – Miss Celie’s Blues (Sister)

Steven Spielberg possui dois Oscar de direção; por A Lista de Schindler e O Resgate do Soldado Ryan. Mas em 1986, ele foi esnobado pela academia por completo. Além de não ter sido indicado à Melhor Diretor por A Cor Púrpura, nas 11 categorias em que seu filme concorreu, simplesmente perdeu todas. O drama aclamado pela crítica da época, que tinha a novata Whoopi Goldberg no papel principal e a apresentadora Oprah Winfrey no elenco, perdeu na maioria das categorias para o romance “Entre Dois Amores” de Sydney Pollack.

Comments

Leave a Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Loading…

Loading…

Comments

comments