, ,


10 filmes sobre a Ditadura Militar no Brasil

Esse ano fazem 50 anos desde o golpe de 64. Diante de muita repressão, censura e luta armada, vamos citar 5 filmes e 5 documentários sobre esse período trágico na história do Brasil. Lembrando que você pode deixar indicações de outros filmes nos comentários.

Estaremos disponibilizando os vídeos onlines.

10 – Cabra Marcado Para Morrer (1984) – Direção: Eduardo Coutinho

O filme é uma narrativa semidocumental da vida de João Pedro Teixeira, um líder camponês da Paraíba, assassinado em 1962. Foi interrompido em 1964, em razão do golpe militar e recomeçado 17 anos depois. Foram reunidos os mesmos técnicos, locais e personagens reais para contar a sua história. Conta a história das Ligas camponesas de Galiléia e de Sapé e a vida de João Pedro através das palavras de sua viúva, Elizabeth Teixeira, que conta sobre a sua vida nesses vinte anos, assim como a de seus filhos, separados dela desde dezembro de 1964.

9 – O Dia que Durou 21 Anos (2012) – Direção: Camilo Tavares

O documentário narra os interiores – desconhecidos pela maior parte da sociedade brasileira – da participação dos Estados Unidos na preparação e execução do golpe militar em 1964, através de documentos sigilosos que ficaram secretos durante anos. Mostra que os Estados Unidos estava decidido a invadir o Brasil para que o golpe tivesse sucesso.

8 – Brasil: Um Relato de Tortura (1971) – Direção: Haskell Wexler, Saul Landau

Documentário raro que retrata o “Grupo dos 70”, presos políticos da ditadura militar brasileira que foram libertados e exilados no Chile, em 1971. Nos depoimentos, eles revelam as humilhações e torturas sofridas nos porões da ditadura.

7 – Jango (1984) – Direção: Silvio Tendler

A trajetória de uma das mais importantes figuras políticas da história brasileira. Mostrando como se deu a sua ascensão e sua triste queda.

6 – ABC da Greve (1979) – Direção: Leon Hirszman

O filme cobre os acontecimentos na região do ABC paulista, acompanhando a trajetória do movimento de 150 mil metalúrgicos em luta por melhores salários e condições de vida. Sem obter êxito em suas reivindicações, decidem-se pela greve, afrontando o governo militar. Este responde com uma intervenção no sindicato da categoria. Mobilizando numeroso contingente policial, o governo inicia uma grande operação de repressão. Sem espaço para realizar suas assembléias, os trabalhadores são acolhidos pela igreja. Passados 45 dias, patrões e empregados chegam a um acordo. Mas o movimento sindical nunca mais foi o mesmo.

5 – Marighella (2012) – Direção: Isa Grinspum Ferraz

O filme, exibido na Mostra Internacional de São Paulo e no Festival do Rio em 2011, estreia nos cinemas no dia 10 de agosto. Com narração de Lázaro Ramos, o longa conta com uma música composta especialmente por Mano Brown. Com uma hora e 40 minutos de duração, “Marighella” retrata a trajetória do ícone da esquerda brasileira desde sua juventude na Bahia. O documentário passa por seus anos de militância no PCB baiano e nacional, suas prisões na Era Vargas, sua atuação como deputado constituinte e pela época da repressão militar, quando se tornou inimigo público da ditadura por conta de atos terroristas.

4 – O ano em que meus pais saíram de férias (2006) – Direção: Cao Hamburger

1970. Mauro (Michel Joelsas) é um garoto mineiro de 12 anos, que adora futebol e jogo de botão. Um dia sua vida muda completamente, já que seus pais saem de férias de forma inesperada e sem motivo aparente para ele. Na verdade os pais de Mauro foram obrigados a fugir por serem de esquerda e serem perseguidos pela ditadura, tendo que deixá-lo com o avô paterno (Paulo Autran). Porém o avô enfrenta problemas, o que faz com que Mauro tenha que ficar com Shlomo (Germano Haiut), um velho judeu solitário que é seu vizinho. Enquanto aguarda um telefonema dos pais, Mauro precisa lidar com sua nova realidade, que tem momentos de tristeza pela situação em que vive e também de alegria, ao acompanhar o desempenho da seleção brasileira na Copa do Mundo.

3 – O Que É Isso, Companheiro? (1997) – Direção: Bruno Barreto

Em 1964, um golpe militar derruba o governo democrático brasileiro e, após alguns anos de manifestações políticas, é promulgado em dezembro de 1968 o Ato Constitucional nº 5, que nada mais era que o golpe dentro do golpe, pois acabava com a liberdade de imprensa e os direitos civis. Neste período vários estudantes abraçam a luta armada, entrando na clandestinidade, e em 1969 militantes do MR-8 elaboram um plano para sequestrar o embaixador dos Estados Unidos (Alan Arkin) para trocá-lo por prisioneiros políticos, que eram torturados nos porões da ditadura.

2 – Pra Frente, Brasil (1982) – Direção: Roberto Farias

Em 1970 o Brasil inteiro torce e vibra com a seleção de futebol no México, enquanto prisioneiros políticos são torturados nos porões da ditadura militar e inocentes são vítimas desta violência. Todos estes acontecimentos são vistos pela ótica de uma família quando um dos seus integrantes, um pacato trabalhador da classe média, é confundido com um ativista político e “desaparece”.

1 – Eles Não Usam Black-Tie (1981) – Direção: Leon Hirszman

Em São Paulo, em 1980, o jovem operário Tião e sua namorada Maria decidem casar-se ao saber que a moça está grávida. Ao mesmo tempo, eclode um movimento grevista que divide a categoria metalúrgica. Preocupado com o casamento e temendo perder o emprego, Tião fura a greve, entrando em conflito com o pai, Otávio, um velho militante sindical que passou três anos na cadeia durante o regime militar.

Deixe nos comentários outros filmes ou documentários sobre esse período.

Comments

Leave a Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Loading…

Loading…

Comments

comments