, ,


10 filmes essenciais do expressionismo alemão

10 filmes essenciais do expressionismo alemão

Expressionismo alemão, de fato, tinha uma vida útil muito curta; no entanto, o seu estilo cinematográfico evidente através da iluminação, cenário e etc.  A linguagem metafórica tem tido um grande efeito sobre a história do cinema.


10 – Sombras (Arthur Robison, 1923)

Durante um jantar dado por um barão rico e sua esposa, quatro convidados ocupam a mesa da mansão do século 19 na Alemanha. Uma sombra da aos convidados uma visão do que o barão ciumento pode fazer se os cavalheiros não reduzirem os olhares à sua bela esposa. O filme é considerado parte do movimento expressionista alemão.


9 – O Estudante de Praga (Paul Wegener – Stellan Rye, 1913)

Um estudante vende o reflexo de sua imagem para uma figura mefistofélica, e sua vida é arruinada por seu duplo espectral.

Balduin, jovem estudante, eximio esgrimista, enfrenta problemas financeiros que o impedem de cortejar a condessa pela qual se apaixonou. Mas um homem sinistro surge, oferecendo uma solução para seus problemas e exigindo, em troca, sua sombra.


8 – A Morte Cansada (Fritz Lang, 1921)

A morte chega num vilarejo perdido no tempo e compra um terreno ao lado do cemitério local, onde constrói um gigantesco muro ao redor dele. Sendo ela a única que conhece a entrada para a área murada, os habitantes da vila deixam de se preocupar com o estrangeiro misterioso e continuam suas vidas, nascendo e morrendo. Até que a morte segue um jovem casal em lua-de-mel, e resolve levar o rapaz para um passeio. Percebendo a longa ausência do marido, a garota vai à sua procura, até chegar ao cemitério, onde vê uma manada de almas adentrando o muro, sendo ele um dos mortos. Desesperada, ela vai buscar conforto na casa de um velho alquimista que lhe oferece ajuda. Lá, ela lê uma passagem na Bíblia que dizia que “o amor é mais forte que a morte” e dá o passo que só ela pode da reunir-se com seu amante.


7 – O Golem (Henrik Galeen – Paul Wegener, 1915)

Nos tempos modernos, um negociante de antiguidades (Henrik Galeen) encontra um golem (Paul Wegener), uma estátua de barro trazida à vida por um rabino quatro séculos antes. O negociante ressuscita o golem como servo, mas o golem se apaixona pela sua esposa. Como ela não retribui o seu amor, o golem comete uma série de assassinatos.


6 – A Última Gargalhada (F. W. Murnau, 1924)

O idoso porteiro do Atlantis, um elegante hotel de Berlim, sente orgulho do seu trabalho, que faz com dedicação, e se comporta como um general em seu resplandecente uniforme, sendo tratado com respeito pelos seus amigos e vizinhos. Entretanto, o novo gerente do hotel se mostra insensível quando o velho porteiro para um pouco para se recompor, após carregar uma pesada bagagem, e assim o gerente decide que o atual porteiro é velho demais para o cargo e o rebaixa para criado do banheiro masculino. Isto provoca um efeito desastroso no prestígio do homem e na sua auto-estima.

Comments

Leave a Reply

One Ping

  1. Pingback:

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Loading…

Loading…

Comments

comments