, ,


10 filmes essenciais de Krzysztof Kieslowski

10 filmes essenciais de Krzysztof Kieslowski

Krzysztof Kieslowski moldou o cinema dos últimos 35 anos. Seu cinema definiu a natureza auto-reflexiva e as lutas da criação da arte pessoal.

Criou experiências cinematográficas singulares, tanto a nível estético e intelectual que tem sido sem precedentes nos últimos 30 anos. O corpo de trabalho que ele e seus colaboradores deixaram para trás ajudará a definir não só o cinema polonês, mas um cinema de unificação em todo o mundo durante as próximas décadas.


1. Pessoal (1975, Filme para TV)

Romek, um jovem idealista de 19 anos, aceita um emprego como alfaiate no departamento de figurino de uma companhia de teatro de Varsóvia, onde seu novo colega, Sowa, é pressionado a fazer uma roupa para um solista arrogante, chamado Siedlecki, que não gosta do resultado final e culpa Sowa e Romek, que defende o amigo.


2. Cinemaníaco (1979)

Após comprar uma câmera cinematográfica caseira para filmar os primieros dias de sua filha recém-nascida, o jovem e modesto operário Filip Mosz é convidado pelo chefe a registrar uma solenidade na fábrica local. Com o sucesso de seu filme, Filip adquire um fascínio quase obsessivo pela realização cinematográfica, com consequências devastadoras para si mesmo e para sua família. Vencedor do Grande Prêmio no Festival Internacional de Moscou em 1979, Cinemaníaco é uma reflexão tragicômica do polonês Krzysztof Kieslowski sobre as complexas relações entre expressão individual e censura, e entre arte e conformismo no meio cinematográfico do Leste Europeu tomado pelo comunismo. Realizado no período de transição entre os documentários de início de carreira e a sólida obra ficcional pela qual o diretor se tornou célebre, Cinemaníaco denuncia de forma bem-humorada o mito da objetividade no cinema documental e coloca em primeiro plano as questões éticas que o ato de ver impõem ao cineasta e ao espectador.


3. Sorte Cega (1981)

Uma experiência em narrativas paralelas e elípticas que influenciou cineastas no mundo todo por mais de duas décadas, Acaso acompanha Witek, um jovem estudante de medicina que, após a morte do pai, corre para tentar alcançar o último trem para Varsóvia. Partindo desse cenário, o cineasta Krzysztof Kieslowski propõe e explora três diferentes desfechos para a história de Witek, selando seu destino como membro idealista do Partido Comunista, dissidente político e ativista comunitário, ou pai de família pequeno-burguês. Acaso é um estudo sobre o destino, a coincidência e as escolhas individuais. Realizado às vésperas do golpe comunista que condenou à ilegalidade e ao anonimato o principal movimento de abertura política da polônia, o Solidariedade, Acaso foi censurado pelo governo comunista por quase sete anos antes de estrear no Festival de Cannes de 1987.


4. Sem Fim (1985)

O filme está ambientado na Polônia em 1982, no auge da guerra fria. O General Wojciech Jaruzelski, à frente do partido comunista, governa o país com lei marcial. Um jovem advogado, que defendia um grevista, é morto. Sua mulher tenta comunicar-se com ele, por meio de um hipnotizador. Belo e sensível filme de Kieslowski. Um filme altamente politizado, como toda sua obra, com uma carga crítica impressionante sobre o sistema comunista vigente na Polônia naquela época.


5. O Decálogo (1988, Minissérie de TV)

A série completa do cineasta polonês Krzysztof Kieslowski, com as adaptações para a televisão, reúne dez episódios inspirados nos mandamentos bíblicos do Velho Testamento. As parábolas contemporâneas traduzem os Dez Mandamentos ao mundo de hoje, em elencos diferentes unidos por duas características comuns: os personagens centrais vivem no mesmo opressivo conjunto habitacional em Varsóvia, e um mesmo e estranho personagem que está presente em todo o Decálogo.

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Loading…

Loading…

Comments

comments