Os 10 melhores filmes influenciados pela filosofia marxista

Os 10 melhores filmes influenciados pela filosofia marxista

Karl Marx foi um dos mais influente filósofo de todos os tempos e, consequentemente, seu trabalho influenciou um monte de filmes. O espectador enfrenta problemas marxistas, tais como: condições proletariado, burguesia dominante, a tecnologia em evolução e sua relação com a sociedade, e revolução. Cada problema é apenas um sinal do advento da era comunista. Este é o núcleo de todo um movimento que influenciou profundamente o mundo.

Obviamente havia outros filósofos, muitos influenciados por Marx, que expandiu os elementos fundamentais em muitas outras direções, alguns deles contemporâneos a ele, incluindo Engels, Kautsky, Bernstein e outros, após a sua morte (Rosa Luxemburgo, Gyorgy Lukács, Gramsci, Ernst Bloch ).

Considerando a história do socialismo e a história do cinema, há uma vasta gama de realização entre os filmes influenciados por Marx e estes mostram muitos aspectos diferentes de suas ideias, demonstrando as dimensões multifacetadas deste movimento.

De TasteofCinema


10. 1900 (Bernardo Bertolucci, 1976)

O filme acompanha as vidas e a relação de dois homens, o filho de um camponês e o de um fazendeiro, na Itália, de 1900 a 1945. Nesse período, surge e cresce o fascismo e, em contraposição, o comunismo, o que vai afetar a vida dos personagens centrais.


9. Tempos Modernos (Charlie Chaplin, 1936)

Um operário de uma linha de montagem, que testou uma “máquina revolucionária” para evitar a hora do almoço, é levado à loucura pela “monotonia frenética” do seu trabalho. Após um longo período em um sanatório ele fica curado de sua crise nervosa, mas desempregado. Ele deixa o hospital para começar sua nova vida, mas encontra uma crise generalizada e equivocadamente é preso como um agitador comunista, que liderava uma marcha de operários em protesto. Simultaneamente uma jovem rouba comida para salvar suas irmãs famintas, que ainda são bem garotas. Elas não tem mãe e o pai delas está desempregado, mas o pior ainda está por vir, pois ele é morto em um conflito. A lei vai cuidar das órfãs, mas enquanto as menores são levadas a jovem consegue escapar.


8. Pocilga (Pier Paolo Pasolini, 1969)

A partir de duas histórias paralelas, uma no século XVI e outra na Alemanha pós-moderna, Pasolini faz um retrato metafórico nada alentador da degradação humana alastrada pela sociedades de consumo, as quais não prezam o sentido e a essência do ser humano, mas apenas sua capacidade de consumo. É uma reflexão sobre o lema da era capitalista: “consumo, logo existo”. Embora pareça um tanto estranho e complicado de se entender, Pocilga nada mais é que uma brincadeira do diretor, que utilizou temas incomuns como a antropofagia e a bestialidade, para criar uma obra puramente crítica e irônica sobre o assunto tão controvertido que é o consumismo.


7. Terra (Alexander Dovzhenko, 1930)

O filme conta a história de uma comunidade vivendo em uma fazenda coletiva na Ucrânia. Seus medos, esperanças, angústias e sonhos.


6. Três Canções Para Lênin (Dziga Vertov, 1934)

Esta compilação elegíaca de imagens e lembranças relacionadas ao líder russo Vladimir Ilich Lenin (1870-1924) permite que vislumbremos a extrema significância de suas atitudes e memórias mesmo após sua morte e a deturpação da revolução por ele comandada depois da assunção tirânica de Stalin.

Anterior1 de 2

4 Comments

Leave a Reply
  1. Sério que alguém conseguiu tirar alguma mensagem marxista do Film Socialism? Foi só eu que não entendi praticamente bulhufas desse filme?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *