, ,


Filmes Para Ouvir: Singles – Vida de Solteiro

Atenção! Contém doses cavalares de nostalgia

Assistir ao filme Singles – Vida de Solteiro hoje, exatos 25 anos após o seu lançamento, desperta a sensação de entrar numa máquina do tempo e viajar a um passado delicioso. A forma de consumir música passou por uma transformação gigantesca desde então. Me lembro de ficar colado ao rádio gravando fitas com as minhas canções favoritas. Era uma loucura ter que correr para pausar quando acabava uma faixa e entravam os comerciais!

Se alguém comprava um disco, todos os amigos corriam para se reunir para ouví-lo, ver o encarte, decorar as letras…Quase um ritual!

Com a morte dos grandes conglomerados do mercado fonográfico no século passado e o hoje fácil acesso à música em um sem fim de serviços de streaming, o conceito de álbum está se tornando cada vez mais obsoleto. Se por um lado o processo é mais democrático- e isso é ótimo – por outro a música tem sido colocada em posição de mera coadjuvante no cotidiano das pessoas. Enfim, os tempos mudaram e começo a me sentir um velho ranzinza!

Vamos ao filme…

Antes de cair nas graças da indústria fonográfica e entrar para a história, o rock alternativo de Seattle – muitos preferem chamá-lo de grunge – era um fenômeno local. E é em meio à efervescência dos clubinhos com música ao vivo da cidade que Singles acontece.

O filme escrito e dirigido por Cameron Crowe (Jerry Maguire – A Grande Virada, Quase Famosos) é silutilmente dividido em capítulos e acompanha as tentativas e erros de quatro jovens recém-chegados aos vinte e poucos anos na busca de amor e sucesso. Poderia ter sido apenas mais uma daquelas comédias românticas fraquinhas e banais, mas conhece a velha história de “ estar no lugar certo e na hora certa?” Pois então! O timing de Singles é o seu maior trunfo!

O rock voltava ao mainstream e Seattle era o epicentro da retomada. Contemporâneo à ascensão da MTV e das college radios, o filme tem em sua trilha sonora bandas que começavam a ganhar destaque na imprensa e angariavam cada vez mais público. Para se ter uma ideia, os músicos do Pearl Jam se transformam em Citizen Dick, a banda do personagem interpretado por Matt Dillon; Soundgarden e Alice in Chains aparecem tocando em barzinhos e faixas de R.E.M e Smashing Pumpkins embalam alguns momentos emblemáticos do filme. Há uma cena em homenagem ao lendário Jimmy Hendrix que é de chorar de tão linda! A relação de Crowe com a música é bem peculiar. Na década de 1970, com apenas 15 anos de idade, ele excursionou com o Led Zeppelin e tornou-se um dos repórteres mais jovens da história da revista Rolling Stone.

Além disso, Singles apresenta personagens que dialogam diretamente com os jovens americanos de classe média dando seus primeiros passos em direção à vida adulta. Eles são vizinhos e moram no mesmo conjunto habitacional no subúrbio.

Alguns arquétipos desta juventude: o cara que quer ser um rockstar e para sobreviver tem três ou quatro empregos; a garçonete sonhadora que trabalha para poder voltar à faculdade; o funcionário sonhador de uma repartição altamente burocrática e a mulher bem-sucedida em uma carreira estável. As relações amorosas entre eles são imaturas e levemente desastrosas. A quebra da quarta parede pontua algumas das neuroses dos personagens e insere ainda mais o espectador naquele ambiente, além de ser a ponte entre um capítulo e outro.

Embora não tenha atingido todo o potencial de sucesso comercial na época de seu lançamento – o disco com a trilha sonora se saiu muito melhor – o emergente mercado de home vídeo ajudou a equilibrar as contas. Tanto que os produtores tentaram convencer Crowe a transformar o filme em série de televisão. Ele recusou a proposta e viu grande parte de sua estrutura narrativa dar vida a outro clássico: Friends.

   Singles é antes de tudo fruto da geração em que foi concebido e pode soar um pouco datado para os dias de hoje, mas nada que tire o brilho e a importância do filme. Poucos conseguiram capturar tão bem a essência de seu tempo. É quase impossível não chegar ao final do filme com aquele sorriso de satisfação. Assista no volume máximo!

Título Original: Singles
Diretor: Cameron Crowe
Ano: 1992
País: Estados Unidos

Written by Danilo Carbone

Jornalista, cinéfilo e fã de Iggy Pop, Danilo acredita que o cinema e a música são artes complementares capazes de mudar o mundo e as pessoas.

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Loading…

Loading…

Comments

comments