, , , ,

Love


TRILOGIAS FRAGMENTADAS

Se tem algo que os cinéfilos gostam são de Listas e Trilogias!

Hoje vamos falar de Trilogias!

Se tem algo que os cinéfilos gostam mais do que filmes, são de Trilogias! Pois elas ampliam o universo dos filmes que tanto adoramos. Mas tem outra coisa que os cinéfilos amam… Listas! Afinal as pessoas que amam filmeS (sim no plural mesmo) sabem que é praticamente impossível escolher apenas um e fazer listas é mais difícil ainda porque sempre corremos o risco de sermos injustos, uma vez que como temos que fazer escolhas algo sempre fica de fora!

No quesito Trilogia existem existem dois tipos distintos que se destacam: As Sequenciais e as Autorais.

No primeiro grupo se enquadram as que seguem uma Ordem tais como Godfather, Lord of the Rings e Batman Dark Nitgh. Infelizmente por se tratarem muitas vezes de entretenimento, um filme que isolado cumpre seu papel, ao fazer sucesso ganha uma sequência que na maioria das vezes é esquecível. Também existem filmes que são planejados como uma Trilogia e mesmo assim apenas o original funciona. Sem falar nas cineséries que em detrimento da qualidade, após sucesso comercial viram verdadeiras franquias. Mas esse assunto fica para uma próxima.

No segundo grupo existem as Trilogias Autorais, onde um Diretor realiza suas Obras a partir de uma temática. Esses filmes sempre desenvolvem histórias a partir de um ponto em comum e não são necessariamente interligados um com o outro, tanto que as vezes o Diretor repete os atores em papéis diferentes. Em alguns existem conexões entre as histórias, o que pode tornar a experiência ainda mais enriquecedora para aqueles cinéfilos mais detalhistas, mas o melhor é que eles podem ser assistidos individualmente, sem prejudicar o entendimento de ambos.

Essa lista foi pensada com base nos temas norteadores que cada Diretor tinha em mente ao realizar a Obra. Uma boa pedida para quem não assistiu ver, e para quem já assistiu rever, estas Grandes Obras do cinema mundial, com diretores renomados e das mais diferentes nacionalidades e pensamentos que juntos traçam um panorama do cinema autoral e mundial.

Prepare sua sessão e partiu maratonar!

1: TRILOGIA DOS SONHOS

Esta Trilogia ficou conhecida pelo estilo único de Lynch com cenas oníricas e com uma narrativa não linear que emula a situação dos personagens como se estivessem dentro de um sonho.

Estrada Perdida (orig.: Lost Highway) – 1997
Cidade dos Sonhos (orig.: Mulholland Drive) – 2001
Império dos Sonhos (orig.: Inland Empire) – 2006
Direção: David Lynch

2: TRILOGIA DA IDENTIDADE

Satoshi Kon reconhecido gênio da animação nos traz esta Trilogia onde nada é o que parece. Marcada por personagens femininas fortes, todas as protagonistas são envolvidas em situações limites onde são questionadas suas identidades. Perfect Blue foi a inspiração para o Diretor Darren A. do recente Mother para o filme Cisne Negro. Muito antes de Inception, Satoshi Kon utilizou da ferramenta de inserção dos sonhos em Páprika.

Perfect Blue (orig.: パーフェクトブルー; Pāfekuto Burū) – 1998
Millennium Actress (orig.: 千年女優; Sennen Joyū) – 2001
Paprika (orig.: パプリカ; Papurika) – 2006
Direção: Satoshi Kon

3: TRILOGIA DA INCOMUNICABILIDADE

Também conhecida por Trilogia da intercorrelações, Alejandro disse em entrevista que seus filmes eram uma homenagem a Trilogia de Michaelangelo Antonioni. Os três filmes trazem personagens que não conseguem se comunicar e sempre em núcleos de três.

Amores Brutos (orig.: Amores perros) – 2000
21 Gramas (orig.: 21 Grams) – 2003
Babel – 2006
Direção: Alejandro González Iñárritu

4: TRILOGIA DO CORAÇÃO PARTIDO

Não era a ideia original de Wong Kar Way que essa fosse uma Trilogia, mas quando filmava Dias Selvagens ele disse que um dia iria revisitar o Universo de seus personagens pois sentia que a história precisava de um fechamento.

Dias Selvagens (orig.: 阿飛正傳; Āfēi zhèngzhuàn) – 1990
Amor à Flor da Pele (orig.: 花樣年華; Huāyàng niánhuá) – 2000
2046 – Os Segredos do Amor (orig.: 2046) – 2004
Direção: Wong Kar-Wai

5: TRILOGIA DA DEPRESSÃO

Lars Von Trier fez essa Trilogia como se fosse uma espécie de catarse, após um período de depressão, dedicou-se a debater esse tema através dos filmes.

Anticristo (orig.: Antichrist) – 2009
Melancolia (orig.: Melancholia) – 2011
Ninfomaníaca (orig.: Nymphomaniac) – 2013
Direção: Lars von Trier

6: TRILOGIA DO SILÊNCIO

Bergman por si só já é auto-explicativo, também conhecida como a Trilogia da Fé, nesses filmes ele dialoga com personagens que estão a volta com profundas dúvidas. Este tema é caro ao Diretor e esta presente em suas outras Obras, assim como em seu filme mais famoso o Sétimo Selo.

Através de um Espelho (orig.: Såsom i en spegel) – 1961
Luz de Inverno (orig.: Nattvardsgästerna) – 1963
O Silêncio (orig.: Tystnaden) – 1964
Direção: Ingmar Bergman

7: TRILOGIA DA VINGANÇA

Park Chan-Wook responsável pelo “boom” do cinema coreano, hoje tem uma carreira sólida e esteve presente como jurado no Festival de Cannes e The Handmaiden foi premiado ano passado. Quando lançou Mr. Vingança fez um certo sucesso no cinema independente, mas foi quando lançou no ano seguinte Old Boy que a consagração veio. Encerrou sua Trilogia com Lady Vingança. Detalhe é que o Old Boy é baseado num mangá (HQ japonesa). Ganhou remake em Hollywood pelo conhecido Diretor Spike Lee.

Mr. Vingança (orig.: 復讐는 나의 것; Boksuneun naui geot) – 2002
Oldboy (orig.: 올드보이; Oldeuboi) – 2003
Lady Vingança (orig.: 친절한 금자씨; Chinjeolhan geumjassi) – 2005
Direção: Park Chan-wook

8: TRILOGIA DO MOVIMENTO HUMANO

Godfrey Regio dirigiu estas três Obras Primas do cinema. Seus filmes ficaram mundialmente famosos pela técnica, edição e uso de recursos inovadores tais como a time elipse. Com destaque também para a inebriante trilha sonora assinada por Philipe Glass.

Koyaanisqatsi: Uma Vida Fora de Equilíbrio (orig.: Koyaanisqatsi) – 1982
Powaqqatsi: A Vida em Transformação (orig.: Powaqqatsi) – 1988
Naqoyqatsi: A Guerra como Forma de Vida (orig.: Naqoyqatsi) – 2002
Direção: Godfrey Reggio

9: TRILOGIA DO MILAGRE ECONÔMICO ALEMÃO

Para quem ama cinema, impossível não falar de Rainer Werner Fassbinder e sua Trilogia BRD. Um dos responsáveis pelo novo cinema alemão, esta Trilogia traça um panorama do pós segunda guerra mundial visto pelos olhos de suas personagens.

O Casamento de Maria Braun (orig.: Die Ehe der Maria Braun) – 1979
Lola – 1981
O Desespero de Veronika Voss (orig.: Die Sehnsucht Der Veronika Voss) – 1982
Direção: Rainer Werner Fassbinder

10: TRILOGIA DAS CORES

Obra Prima do Diretor polonês K. Kieslowki, esta Trilogia faz uma analogia a revolução francesa a partir da história distinta de três filmes, onde os personagens vivenciam em seu cotidiano tragédias pessoais.

A Liberdade é Azul (orig.: Trois couleurs: Bleu) – 1993
A Igualdade é Branca (orig.: Trois couleurs: Blanc) – 1994
A Fraternidade é Vermelha (orig.: Trois couleurs: Rouge) – 1994
Direção: Krzysztof Kieślowski

Written by Keitarô Urashima

Cinéfilo inveterado, critico, nerd, cineclubista.
Vindo de uma galáxia muito distante após uma longa jornada na Terra Média.
De volta a Batcaverna.