Existencialismo em 50 Filmes – Parte 1

, ,

Existencialismo em 50 Filmes – Parte 1

11 – A Aventura (Michelangelo Antonioni, 1960)

Um grupo de ricos italianos sai numa viagem de iate para uma ilha vulcânica deserta no Mediterrâneo, onde um dos passageiros, Anna, se perde dos demais. O namorado dela, Sandro, e uma amiga, Claudia, saem, sem sucesso, à procura de Anna e, durante a busca, acabam se apaixonando.


12 – A Esposa Solitária (Satyajit Ray, 1964)

Charu vive uma vida solitária e ociosa na Índia de 1870. O seu marido Bhupati, dono de um jornal, passa mais tempo no escritório e a fazer política do que em casa. Amal, primo de Bhupati e aspirante a escritor, vai viver com eles para tentar encontrar um rumo para a sua vida e também para fazer companhia a Charu que se interessa igualmente por literatura. No entanto, passados alguns meses, os sentimentos entre Charu e Amal começam a ultrapassar a simples amizade.


13 – Stalker (Andrei Tarkovsky, 1979)

Após a suposta queda de meteoritos numa região do planeta, essa região adquire propriedades estranhas e é chamada de Zona. Dentro da Zona, diz a lenda ter o Quarto, que seria um lugar onde todos os seus desejos são realizados. Temendo que a população invada a Zona à procura do Quarto, o exército a isola, mas eles próprios não têm coragem de entrar nela. Apenas alguns poucos, chamados Stalkers, têm habilidade suficiente para entrar e sobreviver lá dentro. Um dia, um escritor famoso e um físico contratam um Stalker para os guiarem ao Quarto, sem exatamente saber o que procuram.


14 – Um Condenado à Morte Escapou (Robert Bresson, 1956)

Baseado na história do ativista da resistência francesa Andre Devigni, que acaba preso durante a ocupação alemã na França e é condenado à morte. O que alimenta sua esperança é a preparação de um plano para fugir do seu destino.


15 – A Dupla Vida de Véronique (Krzysztof Kieslowski, 1991)

O filme abre com a história de Veronika, uma jovem polonesa com um talento absurdo para a música erudita. Sua voz é incomparável. Após conseguir entrar em uma escola de música, Veronika se apresenta pela primeira vez e morre, com um ataque cardíaco. Veronique é uma jovem francesa com um grande talento musical. Sua vida seguia bem até que ela sente como se estivesse só. Perde o interesse na música e acaba se relacionando um manipulador de fantoches, Alexandre Fabbri, que a conduz para uma espécie de conto da vida real.


16 – O Samurai (Jean-Pierre Melville, 1967)

O matador Jeff Costello é um perfeccionista: ele sempre planeja com extremo cuidado todos os seus assassinatos para nunca ser pego. Uma noite, porém, ele finalmente é surpreendido por uma testemunha, e aos poucos, a partir daí, ele vai sendo cada vez mais pressionado.

Resultado de imagem para O Samurai (Jean-Pierre Melville


17 – Mother: A Busca Pela Verdade (Joon-ho Bong, 2009)

Hye-ja, é a mãe solteira de Do-joon, de 27 anos de idade. Seu filho é a razão de sua vida. Apesar de um adulto, Do-joon, é ingênuo e dependente de sua mãe, e às vezes comporta-se de maneira estúpida ou simplesmente perigosa. Ele é uma fonte constante de ansiedade para todos. Um dia, uma jovem garota é encontrada morta em um prédio abandonado e Do-joon, é acusado de seu assassinato. Um advogado ineficiente e uma força policial apática fecham o caso de Do-joon, muito rapidamente e inspiram sua mãe a agir por conta própria. Convocando todos os seus instintos maternais e não confiando em ninguém, ela parte em busca do verdadeiro assassino para provar a inocência do filho.


18 – Primavera, Verão, Outono, Inverno e… Primavera (Kim Ki Duk, 2003)

Ninguém é indiferente ao poder das quatro estações e de seu ciclo anual de nascimento, crescimento e declínio. Nem mesmo os dois monges que compartilham a solidão, em um lago rodeado por montanhas. Assim como as estações, cada aspecto de suas vidas é introduzido com uma intensidade que conduz ambos a uma grande espiritualidade e a tragédia. Eles também estão impossibilitados de escapar da roda da vida, dos desejos, sofrimentos e paixões que cercam cada um de nós. Sobre os olhos atentos do velho monge vemos a experiência da perda da inocência do jovem monge, o despertar para o amor quando uma mulher entra em sua vida, o poder letal do ciúme e da obsessão, o preço do perdão, o esclarecimento das experiências. Assim como as estações vão continuar mudando até o final dos tempos, na indecisão entre o agora e o eterno, a solidão será sempre uma casa para o espírito.


19 – Jules e Jim – Uma Mulher Para Dois (François Truffaut, 1962)

Na virada para o século XX, Jules e Jim são dois amigos que se apaixonam pela mesma mulher, Catherine, que acaba casando com Jules. Depois da Primeira Guerra Mundial, quando eles se reencontram na Alemanha, Catherine começa a amar Jim.


20 – As Diabólicas (Henri-Georges Clouzot, 1955)

Christina é uma rica herdeira, proprietária e professora de um colégio, cuja administração acha-se a cargo de seu marido, Michel. Ele dirige o colégio com mãos de ferro, bate na mulher, a humilha, serve comida estragada no refeitório, é odiado por todos, professores e alunos, além de ser amante de Nicole, uma das professoras. Nicole procura Christina e lhe diz que ele só se casou com ela pelo seu dinheiro e que torce para que ela sofra infarto e, assim, ele possa herdar toda a sua fortuna. Em seguida, sugere um plano para, juntas, assassiná-lo.

Written by Guilherme Antunes

Acadêmico de História e um apaixonado pelas coisas da vida.

2 Comments

Leave a Reply

Deixe um Comentário