Os 10 melhores filmes baseados nas obras de Agatha Christie

, ,

Os 10 melhores filmes baseados nas obras de Agatha Christie

A Rainha do Suspense! A Dama Agatha Christie é a romancista mais vendida de todos os tempos, de acordo com o Livro Guinness de Recordes Mundiais. Ela já vendeu cerca de 2 bilhões de cópias, suas obras estão em terceiro de livros amplamente publicados, atrás apenas das obras de William Shakespeare e da Bíblia. Ela também é o autora mais traduzida, com suas obras sendo traduzidas em 103 línguas.


1. Testemunha de Acusação (Billy Wilder, 1957)

Quando Leonard Vole (Tyrone Power) é preso sob a acusação de ter assassinado uma rica viúva de meia-idade, Sir Wilfrid Robarts (Charles Laughton), um veterano e astuto advogado, concorda em defendê-lo. Sir Wilfrid está se recuperando de um ataque do coração quase fatal e “supostamente” está em uma dieta, que o proíbe de ingerir bebidas alcoólicas e de se envolver em casos complicados. Mas a atração pelas cortes criminais é algo muito forte para ele, especialmente quando o caso é bem difícil. O único álibi de Vole é o testemunho da sua esposa, Christine Vole (Marlene Dietrich), uma mulher fria e calculista. A tarefa de Sir Wilfrid fica praticamente impossível quando Christine Vole concorda em ser testemunha, não da defesa, mas da acusação.


2. Assassinato no Expresso Oriente (Sidney Lumet, 1974)

O mais famoso personagem de Agatha Christie, o inspetor Hercule Poirot, tenta desvendar um intrigante caso de assassinato a bordo do Expresso Oriente. A vítima era o sequestrador e assassino do famoso bebê dos Lindbergh e, todos os passageiros têm um segredo a esconder. Um extraordinário desfile de astros consagrados com atuações inesquecíveis, num filme de requintada direção de arte e de roteiro empolgante.


3. Quem Viu, Quem Matou… (George Pollock, 1961)

Agatha Christie é muito popular e admirada no mundo todo pelos romances que escreveu. Sua capacidade de entender o compartamento criminoso e transportá-lo para o universo dos livros lhe rendeu muitos fãs. Quem é a doce mulher, usando chapéu estampado e um pouco exagerado, sorvendo suavemente uma xícara de chá? Não se trata de uma empregada francesa com modos inapropriados, mas sim a perspicas Miss Marple em um convicente disfarce. Porque, afinal de conta, não é a moda que desperta seu interesse, mas sim, um assassino! Um dos maiores talentos do cinema inglês, Margaret Rutherford, faz aqui sua primeira aparição mundial no papel da famosa detetive neste engenhoso e envolvente mistério baseado na obra “A Testemunha Oculatr do Crime”, de Agatha Christie. Confortavelmente instalada em sua trilha de pistas que a conduzem até uma mansão habitada por uma turbulenta família. Lá, se emprega como doméstica, descobre o corpo estrangulado… e fica bem atenta quando o criminoso atca novamente. Mas nenhum assassino é páreo para Miss Marple.


4. Morte sobre o Nilo (John Guillermin, 1978)

Em um cruzeiro pelo Nilo, uma rica herdeira é morta. Coincidentemente, quase todos os passageiros têm motivos diversos para matá-la. Enquanto no próprio navio as investigações têm início, novas mortes acontecem com o intuito de encobrir a verdade.


5. O Vingador Invisível (René Clair, 1945)

Uma das mais conhecidas histórias de Agatha Christie. Dez personagens com culpa no cartório se encontram num castelo situado numa remota ilha da costa inglesa. Eles não sabem porque estão lá, até que os convidados começam a morrer, um a um, de maneira misteriosa.
Baseado na obra de Agatha Christie, O Caso dos 10 Negrinhos.


6. Assassinato num Dia de Sol (Guy Hamilton, 1982)

O detetive Hercule Poirot esclarece a morte de uma estrela de cinema num elegante hotel de uma ilha no Mediterrâneo. Atores famosos, canções de Cole Porter, um lindo visual e divertida interpretação de Peter Ustinov (Poirot) nesta história extraída de uma novela de Agatha Christie.


7. Sherlock de Saias (George Pollock, 1963)

“Mas ele foi assassinado, não foi?”. Marque bem essas palavras. Que comentário mais assustador e anti-britânico para se fazer durante a leitura de um testamento. Mas é o que a doce Tia Cora fez. Quando mãos misteriosas caem sobre a pobre vellhinha, a observação da senhora não parece tão doce quando anteriormente. Margaret Rutherford retorna ao papel de Miss Marple, a detetive amadora em uma história baseada na obra, Depois do Funeral. Desta fez, ela está acompanhada pelo parceiro perfeito: o mau-humorado Rober Morley. Juntos, eles cavalgam pelo campo, dançam pelo salão, soltam faíscas de amor – e perseguem um engenhoso matador que pensa que o mundo, sem Miss Marple, seria muito, muito melhor!


8. A Maldição do Espelho (Guy Hamilton, 1980)

Uma fã começa a falar orgulhosamente com uma famosa atriz de como já esteve com ela no passado, tendo até mesmo lhe dado um beijo. Porém logo a fã cai morta, em virtude de ter bebido um drink envenenado. Como este copo era para a estrela de cinema, a suspeita é que alguém desejava matá-la. Como uma outra atriz, que trabalha no mesmo filme, é sua ferrenha inimiga, tal hipótese não é descartada, mas existem outras pistas que precisam ser seguidas antes de se dar o caso como encerrado ou solucionado.


9. E Não Sobrou Nenhum (George Pollock, 1965)

Dez pessoas, oito estranhos e um casal de empregados, desfrutam de um final de semana em um castelo longínquo. Sem saber, cada um deles foi convidado para seu próprio assassinato. Você passará o tempo todo tentando adivinhar quem é o verdadeiro assassino enquanto assiste à mais esta brilhante adaptação da obra de Agatha Christie, O Caso dos 10 Negrinhos.

 


10. Amor de um Estranho (Rowland V. Lee, 1937)

Carol ganha na loteria, mas infelizmente sua repentina riqueza a leva ter desentendimentos com o noivo Ronald, de quem acaba rompendo o relacionamento. Ingênua, Carol acaba sendo atraída pelo misterioso Gerald, por quem se apaixona e acaba se casando. Não leva muito tempo, no entanto, para que Carol perceba que o marido é uma pessoa perturbada e não raro perigosa. A mesma história foi refilmada com o título “Receios”.

 

Written by Guilherme Antunes

Acadêmico de História e um apaixonado pelas coisas da vida.

Deixe um Comentário