,

Série | Channel Zero: Butcher’s Block

Pouco conhecida, Channel Zero é uma série que pode agradar os fãs de terror

As famosas creepypastas são histórias de terror/suspense que surgiram na internet e que são difundidas em fóruns e outros sites. O nome se origina da gíria em inglês copypasta, que significa quando um texto é copiado e colado diversas vezes, passando por vários sites. As creepypastas às vezes ganham imagens, áudio e/ou imagens de vídeo relacionadas ao próprio conteúdo da história contada, para que se eleve o nível de perturbação do leitor.

Talvez a mais conhecida, seja a do Slender Man (“O Homem Esguio”, em tradução livre). A criatura se trata de um homem muito magro e alto, que usa um terno preto e que é capaz de esticar seus braços, pernas, troncos e dedos para aterrorizar suas vítimas. A lenda que surgiu em 2009 em uma publicação de um fórum, foi ganhando força com o tempo e ganhou uma versão em game em 2012, além de web séries e curtas-metragens.

Aproveitando o sucesso dessas histórias, o canal de TV por assinatura SyFy, cuja programação é dedicada à ficção científica, fantasia e ao terror paranormal, lançou em 2016 a série Channel Zero, criada por Nick Antosca e dedicada a dramatizar creepypastas conhecidas entre os leitores.

A primeira temporada, chamada Candle Cove, foi ao ar em 2016 e girava em torno de um psicólogo infantil que retorna a cidade onde passou a infância para investigar o desaparecimento de seu irmão gêmeo e de uma série de crianças nos anos 80. Os desaparecimentos aconteceram enquanto um sinistro programa infantil ia ao ar.

Em The No-End House (2017), Margot Sleator se depara com uma estranha casa de horrores que simplesmente surge em seu bairro. Ao entrar no lugar, a garota passa por seis salas onde coisas bizarras acontecem. Quando finalmente “sai da casa”, Margot percebe que seu bairro não é mais o mesmo.

E finalmente chegamos ao ponto do texto: a terceira temporada de Channel Zero que estreou semana passada, chamada Butcher’s Block. No enredo, Alice Woods e sua irmã Zoe, se mudam para uma nova cidade e lá ficam cientes de uma série de desaparecimentos que podem estar conectados a uma lenda sobre uma misteriosa escadaria que surge do nada em um bosque do próprio bairro.

Channel Zero é uma série pouco conhecida do grande público e apresenta um orçamento mais modesto. No entanto, uma característica chama a atenção em todas as temporadas, e traz um diferencial na série: o terror psicológico. Quantos filmes com orçamentos mais generosos, costumam mais chocar com imagens e com aqueles velhos sustos fáceis e gratuitos? Aliás, isso seria um prato cheio para essa terceira temporada da série, uma vez que pelas imagens do teaser, o tom dessa temporada poderia contar facilmente elementos gore. Poderia, pois, ainda que seja cedo dizer, a série parece continuar investindo num terror que está mais preocupado em causar um desconforto do que chocar ou causar repulsa no espectador.

Alice e sua irmã já trazem no passado, questões preocupantes. A mãe das garotas vive no momento em um sanatório enquanto Zoe tenta (sem muito sucesso) se livrar do vício em drogas. Alice se depara com o descaso da polícia no seu novo trabalho na cidade, que consiste em auxiliar um assistente social responsável por visitar famílias que estejam passando por problemas de convívio. Talvez possamos esperar alguma crítica interessante ou metáfora com o lado surreal e sinistro da série, como as escadas que levam para uma porta que ainda não se sabe onde vai dar.

O primeiro episódio foi bem instigante também ao apresentar várias questões que serão respondidas com o tempo. É comum notarmos até agora, a ideia de como a série costuma trabalhar um universo além do nosso, onde a personagem principal encontrará um acesso e uma forte ligação entre o universo real e esse que foi recém descoberto.

Personagens do universo real de Alice, como uma senhora com problemas mentais, prometem ser um dos personagens que podem e deveriam ganhar mais espaço. A loucura da personagem perturba sem que ela caia em excessos. O mesmo podemos falar sobre um personagem portador de nanismo que costuma correr quando visto, como se ele quisesse atrair as pessoas para a escadaria. Usando uma capa vermelha, a série parece te buscado inspiração no longa Inverno de Sangue em Veneza (1973).

Algo que promete uma história bem interessante é a famosa Peach’s Meats, antiga fábrica responsável por embalar carnes, fundada por Joseph Peach. Com o desaparecimento do homem, a fábrica acabou fechando. Desde então, o bairro foi esquecido pelas autoridades.

Krisha Fairchild, que trabalhou no filme Krisha (dirigido por Trey Edward Shults) está na série como a proprietária da casa onde vivem Zoe e Alice. Excêntrica, a mulher também sofre com o desaparecimento de seu irmão e investiga a história da família Peach em busca de alguma ligação, enquanto divide seu tempo empalhando animais.

Com muitas perguntas a serem respondidas durante os próximos episódios, Butcher’s Block tem tudo para ser mais uma temporada de sucesso, pois sabe como manipular elementos oníricos e perturbadores para conquistar o espectador.

 

 

 

 

Written by Tarcísio Araújo

Formado em Cinema pelo CEUNSP - Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio. Escreve para o blog Canal Simulacro e site Cinetoscópio.

Deixe um Comentário